quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Revisão do plano diretor de Pirenópolis é visto com desconfiança

Revisão do plano diretor de Pirenópolis é visto com desconfiança - Moradores do município temem que a proposta em discussão, que prevê a criação de setores habitacionais, comprometa os principais atrativos do município: a tranquilidade do interior e o patrimônio ambiental.

A revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial de Pirenópolis (PDOTP) será enviada à Câmara de Vereadores com desconfiança da população sobre o futuro da cidade goiana distante 150km de Brasília. Os moradores acreditam na importância da criação de regras de ocupação, mas defendem a manutenção das características que fazem da cidade um dos principais pontos turísticos da região. Para eles, falta esclarecer questões como o futuro das áreas verdes e os problemas atuais de crescimento desordenado. A última audiência pública para debater o assunto com a comunidade foi realizada em 3 de setembro. O documento ainda não tem data para ser enviado e apreciado pela Câmara.


O plano separa Pirenópolis em zonas e define as diretrizes para a ocupação de cada área residencial, comercial ou mista. Moradores denunciam que o documento prevê a criação de setores habitacionais, alguns com cerca de 3 mil unidades, mesmo com muitos lotes vazios ainda à disposição para venda e construção. Entre as propostas, está a criação de um anel viário, da Área Especial de Desenvolvimento Mineral e da Área Especial de Desenvolvimento Econômico, que terá destinação para atividades econômicas, industriais e de serviços.

Desde a divulgação do Pdot, a preocupação maior dos moradores é quanto à expansão de Pirenópolis. “Está bom do jeito que está porque precisamos manter as características de cidade tranquila de interior. Os visitantes vêm para cá por causa disso e da natureza e das cachoeiras, são mais de 30 catalogadas. Imagina se virar um grande centro”, preocupa-se o empresário e morador da região Sebastião José Leite, 54 anos. Ele disse não ser contra a criação de regras para ordenar a cidade, mas, para ele, não pode haver mais crescimento. “Hoje, sofremos com falta de água, imagina como ficará no futuro”, diz.

Fonte:

23 comentários:

  1. Escritor Adriano Curado, bom dia. Sobre a questão dessa revisão do plano diretor de Pirenópolis, para se auferir o tipo de impacto que se terá sobre a cidade, basta fazer uma única indagação: a quem interessa a mudança? À população é que não é, pois querem criar "ilhas" de condomínios fechados, de preços acima dos 100.000 mil reais, destinados aos alienígenas. Então, o plano interesse à especulação imobiliária.

    E alguém dirá: mas isso é bom para o desenvolvimento da cidade, pois cessarão o fatiamento das áreas urbanas dentro do anel viário. Pode ser mesmo, só que o preço a se pagar é muito alto. Na prática, multiplicarão o tamanho da área urbana de Pirenópolis. O que isso que dizer? Que a cidade, em tese, será várias vezes maior do que é hoje. Mais gente na urbe, mais carros, mais motos, mais problemas de infraestrutura.

    Se a administração municipal não consegue nem lidar com os problemas atuais (vide o trânsito caótico nos feriados), quem dirá se esses problemas forem quatro, cinco vezes maiores. E o que é pior, cotidianamente.

    Espero, sinceramente, como frequentador assíduo da cidade de Pirenópolis, que essa modificação não seja aprovada na Câmara de Vereadores. Do contrário, adeus à paz e à tranquilidade de cidade pequena!

    ResponderExcluir
  2. Sejana de Pina Jayme11 de setembro de 2014 10:01

    Não se justifica, pois não atende demanda demográfica ou por moradia. Nem mesmo por investimentos, visto que já há uma infinidade de imóveis e terrenos disponíveis e parados. Portando, não visa atender a população e sim interesses específicos, forçando um crescimento que a cidade não comporta.
    Basta pensarmos em água, energia, saneamento, coleta de lixo, trânsito, segurança... São eficientes hoje? E como o serão se a cidade tornar-se seis vezes maior.
    É preciso uma revisão na revisão do plano diretor.

    ResponderExcluir
  3. Mariana Lopes de Siqueira11 de setembro de 2014 14:14

    A especulação imobiliária está sempre de prontidão. Bobeou, ela ataca. Estão doidos de vontade de transformar Pirenópolis numa segunda Caldas Novas. Caba à população mobilizar seus vereadores para que não aprovem o projeto.

    ResponderExcluir
  4. Acho que a Prefeitura e o Governo do estado tem que tentar salvar Piri do crescimento desordenado... a cidade enche nos fds, é gente demais, carros demais, está na hora de fechar o centro histórico e regulamentar o comércio ambulante!

    ResponderExcluir
  5. Maria Antônia Leite11 de setembro de 2014 19:12

    Sabe o que é isto ADRIANO ganância por dinheiro , o povo so que vender vender dinheiro dinheiro , sossego que é bom já ERA.

    ResponderExcluir
  6. Maria Célia Gomes Freitas11 de setembro de 2014 19:13

    Até eu, que não sou dessa cidade, já estou apreensiva com o progresso em passos muito largos. O que mais amo em Pirenopólis, é a magia do interior, as pessoas que se conhecem de uma vida toda, as histórias sobre a história da cidade, que tenho medo que daqui há algum tempo se tornem apenas histórias., e aí acaba o encanto.

    ResponderExcluir
  7. Mas temos alguns exemplos de cidades que se desenvolveram sem perderem essas magias.

    ResponderExcluir
  8. Luciano de Oliveira11 de setembro de 2014 19:19

    sou totalmente contra o aumento da área urbana da cidade por inúmeros fatores... já estão sofrendo com a falta de: água... energia elétrica... transito insuportável... aterro sanitário... aumento da criminalidade... desrespeito com o meio ambiente... rede de esgoto...Saúde precária... ruas esburacada... cadeia publica... mobilidade urbana e acessibilidade de portadores de mobilidade reduzida e pessoas idosas... e por ai vai, falta muito a fazer antes de pensar em ampliação da área urbana.

    ResponderExcluir
  9. O crescimento é inevitável, então é melhor embasado em lei. Necessário é analisar essa lei pra ver se realmente atende os interesses da cidade. Quanto a infra estrutura, não depende de lei, e sim do trabalho de nossos representantes.

    ResponderExcluir
  10. Acho que antes de qualquer decisão, tem que se pensar na infraestrutura, a cidade necessita de investimentos, isso é inegável.

    ResponderExcluir
  11. ADRIANO, SEM SOMBRA DE DÚVIDA. ALÉM DA ESPECULAÇÃO, NADA É RESPEITADO COM RELAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA . VEJA A CARTA DE ATENAS CRIADA EM 1922 E QUE FOI JOGADA NO LIXO. AS PALAVRAS SUSTENTABILIDADE, MOBILIDADE URBANA SÃO LARGAMENTE USADAS, FAZ DE CONTA.

    ResponderExcluir
  12. A Miriam Almeida disse tudo.

    ResponderExcluir
  13. Dalka Maria Pinheiro11 de setembro de 2014 19:22

    MUITO RUIM E PERIGOSO.

    ResponderExcluir
  14. Venha conhecer Caldas Novas e tira sua conclusão. Adeus vida pacata.

    ResponderExcluir
  15. RUIM ..... mas inevitável .... a ganancia pelo dinheiro supera o sentido racional do ser humano!

    ResponderExcluir
  16. Felipe Berocan Veiga11 de setembro de 2014 19:25

    Esse Plano Diretor de Pirenópolis é uma farsa!!!

    ResponderExcluir
  17. Lotes pequenos politicamente é bom . Maior numeros de eleitires. lotes de 300 400 500 metros quadraDOS . LOtes bons são de 800 a 1200 metros quadrados TEremos menos eleitores más, uma população mais selecionada e educada. más : nenor numeros de eleitores.( Isso no pensamento politico )Lotes pequenos são vendidos mais rápido e pode dar até mais lucro. Lotes maiores são mais dificies de vender. isso tudo vai depénder da camara de veriadores .

    ResponderExcluir
  18. Anilzene Jacinto Jaime11 de setembro de 2014 19:26

    Isso é coisa muito sério e necessário estudo e discussão sobre o Plano Diretor. Sugiro que se forma uma equipe composta de arquiteto, urbanista, engenheiro sanitarista para acompanhar esse estudo. Nosso futuro depende de como será aprovado esse Plano.

    ResponderExcluir
  19. Maria Célia Gomes Freitas11 de setembro de 2014 19:27

    Pra mim, que não sou de Pirenopólis, mas amo essa cidade linda, acho que o progresso está chegando a passos muito largos. Se continuar assim , Pirenopolis, perderá o encanto do interior, da linda arquitetura antiga, que em muitos casos só é fachada, o aumento populacional é muito grande para o tamanho da cidade, e perderá a magia , que tanto seduz o visitante. Se tornará uma nova Caldas Novas, que ninguém quer mais visitar. Brasília, onde moro, já quase não vai mais á cidade, das águas termais, que nem são mais termais, e sim aquecidas artificialmente. Isso é o progresso. Bom por um lado, e péssimo por outro.

    ResponderExcluir
  20. Normalmente o local do novo setor habitacional tem grandes interesses ( Camaras de veriadires em reivindicar alguns lotes pra si e do loteador em dar tais gratificações ) O perdedor nisso tudo sera a população de Piri ( Crio que nisso não ´podemos ainda falar em propina) ( Caetano fleury )

    ResponderExcluir
  21. Maria Cecília Brito11 de setembro de 2014 19:29

    Só a população poderá interromper uma decisão precipitada. O patrimônio é da humanidade, não é da imobiliária .

    ResponderExcluir
  22. CONCLAMO A POPULAÇÃO DE PIRENÓPOLIS, PARA FICAR ATENTA AOS NOTICIÁRIOS DO JORNAL CORREIOS BRASILIENSE E DEMAIS FONTES DE DIVULGAÇÃO PARA OS MANIFESTOS E ESCLARECIMENTOS DA PAUTA SOBRE O Plano Diretor de Ordenamento Territorial de Pirenópolis, haja visto que poucas pessoas menos esclarecidas estão tomando conhecimento dessa proposta ABSURDA em aumentar 23% da área abrangente do nosso município para ser tornar campo de interesse particular e de grandes empresários que vão investir para tentar acabar com as Fontes Naturais, Matas e Encostas de Serras que fazem parte das belezas naturais da nossa linda Pirenópolis.
    Comente e nos dá apoio para propor alteração da pauta e exigir apenas liberação de 10% da área prevista no projeto atual e a cada dois anos nova Audiência Publica para a liberação de mais áreas em expansão, conforme projeto e necessidade se houver. Sendo assim; mantendo as áreas como rural.

    ResponderExcluir
  23. Eu sou a favor da revisão do plano diretor. A cidade está crescendo, queira ou não o povo nativo, então é preciso deixar que a história flua. Não tem jeito, gente. Agora ou vai ou racha. Será que vocês não perceberam que isso é um processo irreversível? Talvez o destino de Pirenópolis seja mesmo se tornar uma Caldas Novas no futuro, mas isso quem vai determinar são os novos ventos que assoprarão. Eu tenho interesse em comprar um loto num desses condomínios fechados que virão e vou para aí nos finais de semana e feriado.

    ResponderExcluir

Minhas leitoras e meus leitores, ao comentarem as postagens, por favor assinem. Isso é importante para mim. Se não tiver conta no Google, selecione Nome/URL (que está acima de Anônimo), escreva seu nome e clique em "continuar".

Todas as postagens passarão por minha avaliação, antes de serem publicadas.

Obrigado pela visita a este blog e volte sempre.

Adriano Curado