sexta-feira, 27 de julho de 2018

Festa do Morro 2018

Foto João Martins de Arruda Sobrinho

Já estão os romeiros acampados ao sopé da Serra dos Pireneus. As barracas multicoloridas se espalham pelo cerrado e os peregrinos propagam alegria e devoção. É uma tradição que começou lá com Cristóvão de Oliveira, em 1927, e veio até nossos dias principalmente pelo esforço de seus descendentes. A transformação do local em parque por pouco não pôs fim à festividade, mas no fim imperou a razão.

Boa festa a todos.

Adriano Curado

quarta-feira, 25 de julho de 2018

O papiloscopista medroso


Tem certas profissões que não combinam com algumas pessoas. E no caso de Wagner, não foi por falta de avisar. Desde criança ele sempre se mostrou muito nervoso e assombrado. Diziam seus pais que ele acordava com gritos pavorosos por conta dos sonhos que tinha.

Mas, enfim...!

Wagner, depois de muito estudar, conseguiu ser aprovado num concurso para papiloscopista da polícia técnico-científica. Uma grande conquista a estabilidade na carreira pública e o fim de longas maratonas como concurseiro. Só tinha um porém: ele continuava apavorado!

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Nossa aldeia é nosso universo


Dias desses, conversando com um amigo, ele me disse algo em que eu nunca tinha pensado. Será que fizemos um mínimo para melhorar o mundo onde habitamos? Seremos lembrados por algum feito relevante ou nosso nome quedará no esquecimento? Já se foi a geração de nossos pais e agora é a nossa que está no comando. Pensar nisso me dá um frio na coluna! Gostaria de continuar apenas assistindo da confortável poltrona do teatro e nunca ter que intervir na dramaturgia. Mas isso agora já me parece impossível.

Não sei se herdamos um mundo inacabado e vamos deixá-lo um pouco melhor. Nem sei se quando o último que ainda nos tiver na lembrança morrer, se ainda assim persistiremos na história contada. Só sei que uma infinidade de coisas há ainda para se consertar e o tempo é um ser vivo a serpentear ligeiro ampulheta abaixo.

E não falo de melhorarmos o mundo inteiro. Basta que acedamos uma centelha, um lume em nossa própria aldeia. Nossa aldeia vale pelo universo todo. Se eu puder tornar minha Pirenópolis superior em qualidade de vida, em um lar transbordante de bondade, então já terá valido a vinda por estas paragens.

O sonho de muito de nós pirenopolinos, com mais de quarenta anos. é recuar a história pelo menos até a tranquilidade da foto acima. Mas isso infelizmente não é mais possível. A tranquila Pirenópolis só persistirá em nossas lembranças. Não tem importância, pois feliz do homem que traz consigo recordações que valham o sono.

E se não podemos voltar no tempo, que pelo menos tenhamos ânimo de manter preservados nossos valores. Muitos são os desafios que se avizinham. Tem esse time share parede-meia com a Igreja do Bonfim, tem a falta de planejamento turístico a longo prazo, tem a questão da expansão do plano diretor e por aí vai. Novos obstáculos a desafiarem o antigo povo de Meia Ponte. Mas nós já sobrevivemos a tantas intempéries, já saímos incólumes a tantas tragédias, que esses malefícios presentes não nos derrotarão.

E que assim seja!

Adriano Curado



quarta-feira, 18 de julho de 2018

Cadeado na ponte pênsil


Foi infeliz a ideia de colocar uma corrente com cadeado na Ponte Pênsil Dona Benta. Eu até concordo que ali virou passagem de motoqueiros, que colocam em risco os pedestres, mas daí tomar uma atitude radical dessas...!

Possivelmente isso é obra da prefeitura. Alguém menos esclarecido que não sabe que cadeirantes, carrinhos de bebê etc. também transitam por ali. 

Fica registrado aqui nosso protesto por esse ato inconsequente. 

Adriano Curado



quinta-feira, 21 de junho de 2018

O time share pirenopolino



Há um empreendimento imobiliário sendo construído em Pirenópolis. Trata-se de um time share, que são apartamentos compartilhados. Esse empreendimento se chama Quinta Santa Bárbara e fica próximo à Igreja do Bonfim. Além de todos os transtornos que causará na pequena e bucólica Pirenópolis, como trânsito, tratamento de esgoto, impacto de vizinhança etc., ainda tem o fato de ele estar num local de nascente de água.

Este site é contrário ao mencionado empreendimento e faz parte da resistência para que ele não se efetive.

Assiste o vídeo e tire suas próprias conclusões.

Adriano Curado



quinta-feira, 14 de junho de 2018

Asfalto no Residencial Luciano Peixoto


Finalmente, um ano depois de inaugurado, o Residencial Luciano Peixoto começou a ser asfaltado. Durante esse tempo todo os moradores tiveram que conviver com o pós vermelho do cerrado, que é apenas um dos problemas a que se submete aquela gente.

Num país ideal, jamais uma obra dessas seria inaugurada sem um mínimo de infraestrutura. Quando os primeiros habitantes para lá se mudaram, não havia água ou luz.

Mas enfim...! Antes tarde do que nunca.

Adriano Curado




quinta-feira, 7 de junho de 2018

A cidade aguarda...!



Enquanto estamos envolvidos com festas que não têm fim, Pirenópolis aguarda que grandes problemas sejam solucionados. Uma cidade que recebe semanalmente centenas de turistas, e em feriados, milhares, não pode se dar ao luxo do descaso.

Enquanto tramita na Câmara Municipal o projeto de municipalização do trânsito, os tocos de limitação de bitola foram retirados e os caminhões gigantes circulam tranquilamente pelo centro histórico, como se isso fosse a coisa mais natural do mundo.

O mal cheiro dos descartes clandestinas de esgoto na rede pluvial, problema que há pouco foi solucionado por intervenção do Ministério Público, voltou a incomodar. É o resultado de ações de moradores que não têm consciência de que vivem em comunidade. 

O prédio do teatro, que está em vias de desabar, está com a restauração paralisada porque ocorreu um problema técnico na licitação e todo o processo terá que ser refeito. Enquanto isso fica lá aquele esqueleto sinistro a nos assombrar diariamente.

Já é o momento de guardarmos as roupas de festas e vestir as das reivindicações. Se não ficarmos de olho, a cidade começa a se deteriorar, como uma tapera que o tempo tenta apagar da história. E infelizmente a vigília é eterna, porque um segundo de cochilo e lá se vai a memória.

Adriano Curado

sábado, 19 de maio de 2018

Fotos do início da Festa do Divino


Essas são as minhas primeiras fotos da Festa do Divino 2018. Foram tiradas durante a tocata da Banda Fênix na lateral da Matriz.







Que reforma é essa, governador?


Amanhã, durante as Cavalhadas, lá vem sua excelência o governador fazer a "inauguração" da reforma do cavalhódromo. Que reforma é essa? Aquele mausoléu em homenagem à incompetência administrativa nunca foi terminado, apesar do oceano de dinheiro público gasto ali. Todo ano o corpo de bombeiros interdita o lugar por risco de desabamento.

 Ação eleitoreira e desnecessária essa de fazer um evento público durante as cavalhadas. Já tem aquele desfile longo, e agora mais esse evento para atrasar a festa.