quarta-feira, 31 de julho de 2013

Pirenópolis, cidade malcheirosa


Não é de hoje o problema do fedor que exala dos bueiros da rede pluvial de Pirenópolis. Isso acontece por três grandes motivos.

Primeiro, o projeto da rede de esgoto não sai do papel. Mudam os gestores públicos, mas a falta de vontade administrativa é a mesma. Ninguém se empenha em dar impulso à monumental obra de furar as ruas, instalar nelas os canos e depois promover a ligação com as casas. Até hoje usa-se a fossa séptica na cidade. Chegou-se a comprar uma área para tratamento dos dejetos colhidos, mas até nisso o projeto peca. O local é próximo à pista de aviação e vizinho de loteamentos populosos. Acredito que assim que começar a funcionar, o sistema será desligado, por conta dos odores desagradáveis.

O segundo motivo, obviamente, vem da falta de educação de alguns. É que certas casas jogam suas águas servidas na rede pluvial, que não foi construída com essa finalidade, e é isso que provoca tamanho fedor em Pirenópolis. O Centro Histórico fede esgoto.

A terceira causa do odor malcheiroso é a inércia da postura municipal. Não é difícil descobrir quem polui a cidade, basta para isso seguir o olfato. Identificado o ponto de emissão do poluente, notifica-se o proprietário. Persistiu, multa. Continua, comunica o Ministério Público ou faz valer o poder de polícia do Município.

Enquanto não se resolve o problema, continuamos a passar por constrangimentos junto aos nossos visitantes. Numa noite linda, a Orquestra Filarmônica de Goiás nos presenteia com músicas maravilhosas e o público torce o nariz para o fedor da cidade.


Adriano César Curado

3 comentários:

  1. Christyanne de Lima31 de julho de 2013 13:06

    Adriano, eu concordo com o seu texto. Você tem toda razão quando ao fedor de Pirenópolis. Já cansei de escutar turista reclamando de mal cheiro, principalmente ali na frente da Matriz. Na apresentação da orquestra, ontem, estava um fedor desgraçado. Parabéns pela sua coragem porque os outros só querem bajular, não têm coragem de falar. E você fala mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Danyelle de Moraes31 de julho de 2013 15:19

    Realmente, estava uma carniça lá perto da Matriz. Boa postagem.

    ResponderExcluir
  3. Marcio Jayme (via Facebook)1 de agosto de 2013 13:07

    Um projeto de redes fluviais resolveria todo o problema deste fedor mas o motivo agravante é " Não traz votos para a eleição 2014" então vamos continuar à mercê deste mau cheiro por muito tempo ainda.

    ResponderExcluir

Minhas leitoras e meus leitores, ao comentarem as postagens, por favor assinem. Isso é importante para mim. Se não tiver conta no Google, selecione Nome/URL (que está acima de Anônimo), escreva seu nome e clique em "continuar".

Todas as postagens passarão por minha avaliação, antes de serem publicadas.

Obrigado pela visita a este blog e volte sempre.

Adriano Curado