segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

De filho para pai

Luiz César da Trindade Curado
* 15.11.1939 + 31.01.2013
     A perda de um pai é uma dor que não tem similar. Fica um vazio dentro da gente, sensação de algo que falta, sabor de irreparável tragédia. Mas resta também a lembrança dos momentos, alegres ou tristes, vividos ao lado da pessoa querida.

     No caso de papai, foram mais instantes bons que ruins. Ele era sempre brincalhão, tinha um trocadilho na ponta da língua e ninguém podia vacilar em sua presença ou lá vinha uma brincadeira.

     Vai fazer muita falta para todos nós. Será difícil olhar para o cantinho da sala onde costumava ficar e não ver mais sua presença ali. Mas a vida é assim e não há remédio.

     Esta é uma modesta homenagem de um filho para um pai ausente.

Adriano César Curado

38 comentários:

  1. Caro Adriano César, neste momento de dor, receba meus sentimentos, que Deus lhe dê forças e muitas bençãos.Meu abraço

    ResponderExcluir
  2. Doce poeta, que até na dor suprema retira pingos de luzes das lágrimas, você vai superar esse momento de tristeza e dor, pois seu espírito é elevado e altivo.

    Meus sentimentos, amigo.

    ResponderExcluir
  3. Que posso eu lhe dizer num momento desses? Não tenho o dom das palavras, mas que expressar que fiquei entristecida com a notícia e vou orar para que a jornada espiritual de seu pai seja ainda mais repleta de flores. Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Não se entristeça, pois o Criador prepara um banquete de doce sabedoria àqueles que chegam mais pertinho Dele. Seu Luiz já tem um lugar reservadinho lá nas mansões celestiais. Beijos de luz, amigo.

    ResponderExcluir
  5. Essa doce pessoa já deixa saudade, com certeza, mas a vida continua e você saberá dar a volta por cima. Continue sempre a nos alegrar com suas postagens estilosas e inovadoras.

    ResponderExcluir
  6. Mesmo que seja difícil aceitar o inevitável, temos que compreender que a vida segue seus rumos e seus destinos, independentemente de nossos planos. Seu querido pais está agora por outras searas, nesta longa caminhada rumo ao desconhecido.

    Linda a sua postagem, escrita com muito amor e carinho.

    Um beijo solidário, amigo.

    ResponderExcluir
  7. Adriano, estou aqui para lhe dar forças neste momento triste e lembrá-lo de que a vida não termina, mas continua pelos caminhos da eternidade. Os bons pensamentos são importantes em horas como essas, para que a pessoa amada possa prosseguir sem amarras.

    Um beijo, meu amigo.

    ResponderExcluir
  8. Deus está aqui neste momento
    Sua presença é real em meu viver
    Entregue sua vida e seus problemas
    Fale com Deus, Ele vai ajudar você

    Deus me trouxe aqui
    Para aliviar os teus sofrimentos
    É Ele o autor da Fé
    Do princípio ao fim
    De todos os seus tormentos

    E ainda se vier noite traiçoeira
    Se a cruz pesada for, Cristo estará comigo
    E o mundo pode até
    Me fazer chorar
    Mas Deus me quer sorrindo

    ResponderExcluir
  9. Força, meu querido, força. Tudo passa nesta vida de ilusões e perdas.

    ResponderExcluir
  10. Escritor, soube hoje pela imprensa da morte de seu pai e quero externar a você meus mais sinceros sentimentos. Que a luz Divina possa alcançar o belo e jovem Luiz em sua caminhada de luz e aprendizagem.

    Fique com as bênção e a serenidade de Deus.

    ResponderExcluir
  11. Esta sua postagem é a mais linda que já li na Net. Você me emocionou muito. Saiba que o amor transcende as dimensões da vida e jamais se apaga.

    ResponderExcluir
  12. Os grandes homens não desaparecem diante de pequeninos empecilhos. Agora seu pai segue o caminho dele e você continua a nos brindar com postagens originais e maravilhosas.

    Fique com as bênção de Deus.

    ResponderExcluir
  13. Só por esta homenagem seu pai já se orgulharia de você, imagine o que ele pensava ao analisar o montante da sua obra!

    ResponderExcluir
  14. Que sorriso simpático tinha seu pai...! Deve ter sido uma pessoa muito bacana de se conviver e ouvir as histórias que contava. Pena que precisou se ausentar furtivamente, deve ter ido contar causos noutros caminhos da vida eterna.

    ResponderExcluir
  15. Forças, meu amigo, que a vida tem dessas coisas. Mas o show tem que continuar.

    ResponderExcluir
  16. Nossos pais, na verdade, não anjos que Deus orientou para nos dar atenção e carinho. Finda a missão, retornam para junto do Criador.

    Fique em paz!

    ResponderExcluir
  17. Bonita esta homenagem ao seu pai, meus parabéns.

    ResponderExcluir
  18. Temos mesmo que ser especial para alguém nesta vida, ou do contrário, morreremos e não receberemos uma lembrança tão doce quando a sua nesta página.

    Parabéns, esta é uma de suas melhores postagens.

    ResponderExcluir
  19. Quando li a postagem, vi que não podia deixar passar em branco esse momento, precisava registrar neste espaço meus sinceros sentimentos pela sua perda. Mas não se entristeça, meu poeta, que a vida continua e somos sempre imortais na memória daqueles que ficam cá neste mundo.

    ResponderExcluir
  20. Eu também tive que vir aqui compartilhar da corrente de solidariedade com você, Adriano. Transmita à sua família meus sinceros sentimentos pela ausência do seu Luiz. Espero que vocês se recuperem breve. Abraços.

    ResponderExcluir
  21. Por final das contas, apenas a memória dos que valeram a pena prevalecerá. Seu pai certamente é uma dessas pessoas. Que tal publicar uma biografia dele aqui no site?!

    ResponderExcluir
  22. Adriano, conheci seu pai lá em Pirenópolis, quando fui comprar biscoitos da dona Marta. Ele era um velhinho muito simpático, de cabeça branca e bengala, que não gostava que a gente chamasse duas vezes seguidas na porta. Depois brincava, sorria. Foi uma grande perda, mas a vida é feita de momentos assim.

    ResponderExcluir
  23. Eu, como sua leitora, desejo que você se recupere logo desse fatídico acontecimento, para nos brindas novamente com suas maravilhosas ideias.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Adriano, li no facebook sobre esta sua postagem e precisava vir lhe dar também meus sentimentos e um abraço calorosa de terna amizade. Um beijo.

    ResponderExcluir
  25. Acontecimentos assim são os desapegos da vida. É preciso enfrentá-los e vencê-los.

    ResponderExcluir
  26. Recebi o aviso desta sua postagem e não poderia de também passar por aqui para lhe dar um beijo de forças.

    ResponderExcluir
  27. Agora é virar a página e recomeçar, ainda que isso possa ser doloroso e triste. A vida continua e o mundo precisa de você e da sua arte.

    ResponderExcluir
  28. Amigo, só agora soube do acontecido. Embora um pouco atrasada, receba os meus sentimentos.

    ResponderExcluir
  29. A dor se transforma em luz, quando apenas boas recordações restaram guardadas.

    Fique em paz.

    ResponderExcluir
  30. Essa homenagem de filho para pai nos convoca à reflexão de nossos próprios atos e nos mostra um novo caminho de compreensão e perdão.

    ResponderExcluir
  31. Um grande filho só podia mesmo vir de um grande homem!

    ResponderExcluir
  32. Escritor, a vida é feita de perdas e ganhos. Às vezes somos derrotados mais que deveríamos, eu sei, mas creio que há um propósito maior em toda essa história de partidas e despedidas. Fique firme que a dor passar e a saudade se torna um doce recordar de momentos singulares.

    ResponderExcluir

Minhas leitoras e meus leitores, ao comentarem as postagens, por favor assinem. Isso é importante para mim. Se não tiver conta no Google, selecione Nome/URL (que está acima de Anônimo), escreva seu nome e clique em "continuar".

Todas as postagens passarão por minha avaliação, antes de serem publicadas.

Obrigado pela visita a este blog e volte sempre.

Adriano Curado