segunda-feira, 9 de abril de 2012

Pirenópolis: Semana Santa 2012

    A Semana Santa transcorreu debaixo de chuva e dos problemas pontuais da cidade – trânsito confuso, carros estacionados no trajeto das procissões, som automotivo incomodando todo mundo etc. Acho que vou parar de mencionar esse assunto aqui, porque parecem problemas sem fim.

    Outro dia, fui tomar um sorvete lá na Ponte de Pedra e todo mundo reclamava, com razão, do fedor de esgoto no Córrego Pratinha. Quando sairá o sistema de tratamento dos dejetos da cidade? O projeto está pronto, mas, e o dinheiro? Saiu? Está com quem? Falta o quê?

    Cerimônias aconteciam dentro da Matriz e eram interrompidas porque os desgraçados dos carros com som automotivo não paravam de transitar. Isso acontece o ano todo e ninguém faz nada! A postagem sobre abuso do som automotivo já é das mais acessadas e comentadas deste blog, mas parece que chovemos no molhado. Por que não multam, apreendem o carro e encaminham os contraventores para a delegacia de polícia? Há respaldo na lei para isso.

    Sinceramente, não sei se vale a pena continuar debatendo esse tipo de problema aqui. Acho que é melhor o blog cuidar apenas de poesias e biografias. Eu pergunto, mas não há respostas. Daqui a pouco chegará a Festa do Divino e repetiremos a mesma ladainha.

    Está boa a cidade deste jeito?

                                      Adriano César Curado










29 comentários:

  1. Você tem razão, Adriano, é sempre chover no molhado apontar os problemas da cidade. Entra ano, sai ano, e nenhuma autoridade consegue resolver problemas como os da rede de esgoto e do som automotivo.

    Isso é uma pena, porque a cidade merece mais respeito, maior investimento planejado e um plano de metas efetivo.

    Você faz bem em tornar o blog apenas cultural, sem nenhuma análise crítica da atual situação de Pirenópolis. As eleições vêm aí e o povo terá chance de escolher seus representantes.

    ResponderExcluir
  2. UIARA PEREIRA DE PINA9 de abril de 2012 17:14

    Uma falta de respeito com a população que realmente vai para participar da tradição, das procissões que aliás são belas. Sem falar na sujeira da cidade, na falta de energia, minhas janelas tremendo com a barulheira dos carros. De sexta para sábado pessoas 6 da manhã esmurrando as portas do empadão da rua direita, metendo o pé, gritando, os moradores dizendo que iriam chamar a polícia. E o prefeito?Nem na rua aparece.Ridículo. Não sei se vocês sabem, mas domingo ao descer para o Queima do Judas, que aliás todo ano quem está fazendo é meu pai MAURO DE PINA, porque se ele não fizer ninguém faz, e olha que ele corre pra conseguir patrocínio viu. Bom, voltando ao assunto, eu estava descendo para o queima do JUDAS, as 14hs quando voltei, meu noivo me informou que na rua direita, em frente ao Empadão (vermelho) teve um assalto, um cara chegou na simples hora de 1 da tarde, botou o revolver na cabeça de outra pessoa que estava no carro com uma criança de 9 anos mais ou menos dentro, não sei se prenderam né, porque a polícia também só gosta de fazer barulho....pois é minha gente, cidade sem lei, cidade de ninguém, já escrevi tantos artigos em jornais metendo a boa no trombone e ninguém faz nada, o prefeito some, governador com medo de Cachoeira kakaka, e por ai vai.Enfim, o que está virando Pirenópolis se não apenas algazarra dos bandalheiros????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com a Uiara. A cidade está mesmo precisando de mando. Se as autoridades somem, o crime toma conta. Esse assalto na rua Direita não é novidade, já que quase não se vê polícia nas ruas. Não fazem uma blitz, não revistam suspeitos, não impedem que menores e bêbados dirijam carros. Se a ordem é não molestar o turista, então para que aquele radar na entrada da cidade, com um ridículo limite de velocidade de 60 km/h?

      Os pirenopolinos precisam assumir as rédeas de sua cidade, antes que ela se torne um poldro fogoso e sem controle, que vai parar no fundo dum abismo. O exemplo disso é a histórica e linda cidade de Santa Luzia (hoje transformada na assustadora Luziânia), que está famosa nos noticiários criminais.

      Sem planejamento, infelizmente não conseguirá Pirenópolis vencer os desafios que o futuro lhe cobrará. É preciso aprender a conciliar o fluxo crescente de turistas com a vida pacata do pirenopolino da gema. É preciso saber deixar crescer a cidade, mas controlar o uso dos recursos naturais. É preciso prever o aumento da quantidade de visitantes a médio e longo prazo, porém traçar projetos de adequação das estruturas locais (rede de esgoto, trânsito, hotelaria, fator humano etc.)

      A rede de esgoto não existe. Não é de hoje que ouço amigos reclamarem de águas fedorentas em pleno centro histórico de Pirenópolis. Como bem salientou a postagem, tomar sorvete perto do córrego é impraticável porque fede a bosta – esse final é meu, que poeta como o Adriano não escreveria palavra assim.

      A organização do trânsito se limita a atravessar cavaletes na rua (que geralmente é de mão dupla e se estaciona dos dois lados), mas não há um planejamento, feito com engenheiros de tráfego, para uma saudável movimentação da frota.

      Quanto ao resto, falta ainda muito treinamento ao pessoal que atende o turista em Pirenópolis. Quem ainda não foi mal servido na cidade é um sortudo. Não há paciência para saber lidar com aqueles que estão viajando, relaxados, com vontade de curtir a cidade e bisbilhotar suas novidades.

      Por tudo isso e por muito mais, eu concordo plenamente com a Uiara.

      Excluir
  3. Será realmente uma pena se você deixar de abordar no blog os temas principais e atuais da cidade. Querendo ou não, o Cidade de Pirenópolis se tornou um marco, não há voltas. Prova disso é o acesso crescente do blog e os comentários que são aqui postados.

    Quando se sentir desanimados de reclamar, pense no provérbio: “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. Um dia seus pedidos serão atendidos e creio que aí teremos uma Pirenópolis muito melhor de se morar e passear.

    Os gestores públicos não são os donos da cidade. Eles passarão, mas a cidade permanecerá. Pirenópolis já atravessou os séculos 18, 19, 20 e agora ingressa no 21 com desafios imensos, tão grandes quanto sua capacidade de acolher os turistas que a procuram. Faltam investimentos, projetos eficazes, planejamento estratégicos, mas ainda assim ela tem prosperado.

    ResponderExcluir
  4. Eu não esperava muito dessa Semana Santa em Pirenópolis. Todo ano é a mesma coisa de sempre – cidade confusa, desorganizada, polícia sem paciência para orientar a gente. E para completar a ópera ainda choveu bastante e as cachoeiras ficaram sujas.

    Eu quero comentar essa postagem de hoje para dizer que a cidade trata muito mal o turista que a procura. É lugar que muita gente só visita uma vez e não volta mais. Para começar, é uma cidade histórica que não tem um museu descente para ser visitado – os particulares estavam fechados e o sacro também. Nos restaurantes, além dos preços extorsivos, tem o péssimo atendimento dos funcionários.

    Também estive lá na sorveteria da ponte e senti o odor desagradável a que você se refere.

    Uma pena, porque Pirenópolis é uma gracinha e eu gosto muito do lugar. Mas se continuar assim, também vou preferir outros destinos, e há muitas outras opções por aí.

    ResponderExcluir
  5. É uma pena que uma cidade tão linda e acolhedora passe por problemas tão simples de resolver, mas que dependem de algo chamado "vontade política".

    ResponderExcluir
  6. UIARA PEREIRA DE PINA10 de abril de 2012 10:14

    E outros feriados virão, e acontecerão mais outras badernas. Festa do Divino está ai, e ai?Vão arrebentar o ridículo cavalhódromo?Isso eu não, sei, porque deveriam era desmoronar mesmo. Agora o prefeito aproveitou que está perto de campanha política e está arrumando a buraqueira na entrada da cidade, esperto né, se acordasse para os outros acontecimentos poderia ter feito seu nome enquanto fosse tempo, agora já não é tempo mais de mostrar serviço, Pirenópolis está acabando, jogada às traças, o lixo na porta da minha casa quebrado, fica no chão, a falta de energia, a população fica horas sem energia e mal sabem que a "BELA" propaganda que fizeram da CELG é pra enganar os bobos, privatizaram, e isso ninguém sabe, O MAL CHEIRO está na cidade toda, não tem nem aterro sanitário dai vcs tiram uma média.Pessoas morrendo de leishmaniose e o secretário da saúde diz na televisão que não tem prevenção, A CIDADE ESTÁ IMUNDA SECRETÁRIOOOOOOOOOOOOO, FEDIDA, NOJENTA, DEDETIZAR custa caro????ah, esqueci o dinheiro que vem pra prefeitura tá sumindo...pois é, essa é a triste realidade de PIRENÓPOLIS, enquanto eles fazem vistas grossas, nós ficamos aqui esguelando, pedindo ajuda à DEUS, porque o ser humano virou uma merda, principalmente em Pirenópolis.Não tem governante, muito menos secretariado, está tudo uma bosta, Pirenópolis está nas nossas mãos, tinham era que fazer paralização no próximo feriado, ou na festa do divino. Não estou querendo acabar com os turistas de Pirenópolis como o famoso ZEZICO disse uma vez quando escrevi um artigo no jornal do ano novo, que até "cagaram" na porta de minha casa, não é isso. A gente tem que acabar com o turista "ISOPORISADO" isso sim, turista que fica em hotéis, com família, levam lucro pra cidade, os outros?só sujeira, imaginem como são as casas em que moram.A população tinha que fazer paralização, pedir, implorar, gritar, berrar, só assim pra algúem tomar atitude.Na verdade minha gente, que atitude se nem o governante tem pulso, não faz nada acontecer...ACORDEM PESSOALLLLLLLLLLLLLLL, NÃO É UMA AMEAÇA É UM AVISO, PIRENÓPOLIS VAI ACABAR!!!!E AI VAMOS ESTAR EM UMA CIDADE COMO NO FILME "O LIVRO DE ELI", juntos com um bando de carniceiros.Vamos lá, vamos fazer acontecer, paralizar, desmoralizar que acha que faz algo, fazer acontecer....

    ResponderExcluir
  7. Dirigir uma cidade é como gerenciar um empreendimento particular. Isso requer organização, participação efetiva dos envolvidos, logística das ações planejadas, pensamento a longo prazo etc. Não se pode deixar que o fato aconteça para então tentar resolvê-lo. O bom gestor sabe se antecipar, cuida de previsões e não de remendos. Pelo que vejo, é isso que falta em Pirenópolis atualmente. Cada problema que a cidade enfrenta na atualidade já poderia ter sido antevisto faz tempo, e agora seus moradores conviveriam com as soluções práticas. E se está assim hoje, imagine na década que vem!

    ResponderExcluir
  8. Caro Adriano Curado,você nos traz um assunto de relevante teor preocupativo. Nós já discutimos assunto"carro de som", em outra ocasião. É, totalmente inadmissível aceitar a desordem, a bagunça e a falta de educação de algumas pessoas que vão para uma cidade, bela como Pirenópolis bagunçar com falta de respeito às pessoas do lugar.Isso me deixa indignado podendo até dizer bravo! Cito: Constituição da República, em seu art. 1º, parágrafo único, aduz que "Todo o poder emana do povo que o exerce por meio de seus representantes,ora se o representante maior não der conta do recado, tira ele. Teremos eleições agora em setembro. Pauto muito pela representação popular, quero dizer que se o povo não fala, não grita e não participa, aí fica difícil. Que não é o caso. Peço-te que não abandone os assuntos comunitários que você sempre nos traz, seu Blog é diversificado, você sabe escrever de um tudo. Você é poeta. Entende de Leis,nascido na cidade, tendo todo o direito de ser o cidadão, que é. Voltando, quero dizer que a bela cidade de Pirenópolis merece de tudo melhor, esse povo é tudo de bom. Acho o que falta para fazer é os eleitores colocarem pessoas no executivo e no legislativo local,e saibam escolher bem quem realmente está comprometido com os cidadãos e cidadãs, comprometido com a cidade, com projetos sociais, de segurança pública, de educação, de saúde. Eu, particularmente não conheço nenhum projeto de lei, aprovado e em execução de 2008 até agora. Temos que votar bem. Mais uma vez, te agradeço pela oportunidade de comentar suas matérias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem toda razão, Cícero. Se o governante da cidade está ruim, é só aproveitarmos as eleições de setembro para trocá-lo. Mas não devemos esquecer que tem de haver um candidato forte de oposição, para deixar sua marca e vencer a situação.

      Também acho que o Cidade de Pirenópolis não deve abandonar a diversificação de temas. Aqui podemos encontrar de tudo um pouco, em relação a Pirenópolis, e isso é muito bom. Se por um lado tem abordagens sobre problemas pontuais, por outro há poesias a encantar a gente e embelezar ainda mais essa cidade que é tão linda, tão pura e tão venerada.

      Apesar de quem dos governos, Pirenópolis prospera!

      Excluir
  9. Quando conheci Pirenópolis, há uns cinco anos, eu achei que fosse mesmo o paraíso na terra. Era perfeita e sem retoques. Ao vê-la mais de perto, percebi que precisava de muitas ações emergenciais para bem acolher o turista que a procura. Passado já tanto tempo, ainda não temos ações afetivas do poder público para resolver problemas tão pequenos, como o som dos carros e o esgoto na rua, que você aponta na postagem. Isso é uma pena, porque quando se fala em Pirenópolis, não estamos tratando de uma cidade comum, mas de um lugar ímpar, que já foi capaz de encantar tantos andarilhos que passaram aí por Goiás. Seu blog é importante porque aborda com isenção os temas atuais, e de quebra derrama poesia na gente. Continue assim.

    ResponderExcluir
  10. Esse assunto abordado aqui é muito sério. Diz respeito à gestão da cidade de Pirenópolis e deveria ser levado ao conhecimento das autoridades locais. Se eu fosse o prefeito, leria todas as páginas da internet que abordam assuntos regionais, ainda que teçam críticas à sua pessoa. É discutindo os problemas que se chega a soluções.

    Se houver incompetência na gestão, então cabe ao Ministério Público atuar, quer como fiscalizador das ações governamentais, quer como agente executor dos ditames legais. O que não pode acontecer é o mesmo assunto prevalecer em extensão de tempo dilatada, mas a nenhuma solução se chegar.

    Eu estive em Pirenópolis não no feriado da Semana Santa e não consegui dormir. Havia uma festa com som altíssimo na cidade, algo que perturbou a noite toda. Depois que a festa acabou, acredito que seus participantes tenham saído para as ruas com algazarras infernais, alguns com sons automotivos em altíssimo volume. E eu pergunto: cadê a polícia para coibir isso?

    Uma cidade do porte de Pirenópolis, que recebe autoridades do mundo todo, que quer ser subsede da Copa do Mundo, não pode ficar à mercê do acaso, varrendo para debaixo do tapete problemas que já deveriam nem existir.

    Sobre este blog, é claro que ele deverá continuar a abordar temas presentes, sempre com a isenção que é característica do seu autor. E também tem que prevalecer o romantismo que sempre marcou a Terra dos Pireneus.

    ResponderExcluir
  11. Vou a Pirenópolis mais nos feriados, mas esse assunto de som dos carros perturba mesmo. Tem vez que a gente não consegue pregar o olho à noite, de tanto que perturba. Conheço gente que não vai mais para lá porque não suporta perder o sono e ficar revirando na cama. Tem que acabar com a farra desse povo que perturba a gente desse tanto.

    ResponderExcluir
  12. Pirenópolis é uma cidade muito linda e querida. Esses problemas que você aponta no texto certamente que não apagarão o brilho desse pequeno pedacinho do céu. Os homens de hoje passarão, mas a história continuará. A questão aqui é saber que pensarão no futuro os que herdarem a cidade.
    Sua postagem é atualizada e importante, porque suscita discussão valorosa e visa modificar para melhor o estado das coisas.
    Meus parabéns, escritor.

    ResponderExcluir
  13. Um barco sem comando pode afundar nas pedras da praia. Os primeiros indícios de que uma cidade não vai bem é a reclamação pública reiterada, sem resultados práticos. Isso faz nascer na população uma vontade de reação, que talvez reflita na escolha de quem a governa. É precisa prestar atenção ao apelo popular.

    ResponderExcluir
  14. Não moro em Pirenópolis, sou apenas uma turista que gosta bastante de passear ali nos finais de semana e feriados e por isso estou aqui a dar minha opinião. De fato, já vi muitos desses problemas que o autor fala na postagem. Perto da Pousada das Cavalhadas, onde a gente fica, corre uma água malcheirosa, dessas de arder a garganta da gente e isso já faz muito tempo. Quando é de madrugada, desce a rua do Rosário uns motoristas mal educados com seus carros de som muito alto, um grave infernal que acorda todo mundo. Teve um dia no café da manhã que todo mundo reclamava do som dos carros e então passou um que fazia vibrar as vidraças do hotel e os talheres nos pratos. Isso é uma vergonha que tem que acabar logo, não é possível que Pirenópolis permita esse tipo de desatinos! Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  15. Acho que o seu blog é importante pela diversidade de assuntos abordados, e tudo isso sem fins lucrativos, como se vê nos sites especializados na cidade. Quanto ao problemas que aponta na postagem, creio que todos são resolvíveis com um ação forte da administração pública, em parceria com o setor privado.

    Parabéns pela ousadia do tema.

    ResponderExcluir
  16. Poeta Adriano Curado, quero lhe dar meus parabéns por abordar assuntos de grande relevo para nossa querida cidade de Pirenópolis. Você tem ampla razão quando afirma que vai abandonar os temas “problemáticos” e se dedicar mais à cultura da cidade. Para os outros assuntos temos os jornais, mas a área cultural está mesmo carente de quem a incentive e cuide.

    ResponderExcluir
  17. Só de debatermos os problemas da cidade, já será meio caminho andado para a solução.

    ResponderExcluir
  18. Eu fico com o coração na mão toda vez que vou a Pirenópolis e vejo que ela está tão maltratada, tão carente de investimentos, tão necessitada de ações contundentes.

    Gente, aquela entrada da cidade, de quem chega de Brasília, é muito feia. Falta um bom serviço de paisagismo, troca do alfalto por pedrinhas pé-de-moleque (é assim que chamam!), pintura da fachada das casas. Tudo isso o prefeito pode conseguir através da parceria público privada.

    ResponderExcluir
  19. Desses problemas todos aí apontados, o que mais me irrita são os carros com som alto. Quando vou a Pirenópolis já sei que não vou dormir direito.

    Mesmo o turista que sai a passeio quer uma noite com sono restaurador, para poder curtir as delícias da cidade. Sei que é uma minoria que vive para atormentar o sossego alheio, mas alguém precisa tomar providências quanto a isso.

    ResponderExcluir
  20. Ainda bem que os políticos passam, mas a cidade continua sem eles. Esse descaso com Pirenópolis está com os dias contados. Aguardem.

    ResponderExcluir
  21. Vamos murchar os pneus de todos os carros com som automotivo exagerado?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão principal que envolve a cidade de Pirenópolis é a falta de planejamento. Nada mais que isso. Os problemas do hoje deveriam ter sido pensados ontem, e os de amanhã precisam de debates agora.

      Excluir
  22. As suas belas imagens da Semana Santa em Pirenópolis conseguem encobrir todas as mazelas porque passa a cidade.

    ResponderExcluir
  23. Gosto desse seu site porque é sério, traz notícias atualizadas da amada Pirenópolis e ainda tem o lado cultural.

    Parabéns, continue assim.

    ResponderExcluir
  24. Judiação o que fazem com Piri! Essa cidade tão nossa, tão cultura, tão tradição, merece mais respeito, com todos unidos pelo seu bem. Aqui não é um lugar como outro qualquer, é uma terra singular, a flor de Goiás, o berço de muitas culturas essenciais para nossa sobrevivência enquanto Estado. E não só Goiás se beneficia com a integralidade da cultura pirenopolina e da preservação do seu acervo arquitetônico, também Brasília tem suas origens na bela Cidade dos Pireneus.

    Vamos cuidar melhor da Mãe-Piri?!

    ResponderExcluir
  25. Eu já notei em todos os pecados cometidos contra Pirenópolis. Achava que só eu tinha notado, mas agora que li os comentários, vejo que não estou sozinha. Tudo que você escreveu eu apoio.

    ResponderExcluir
  26. ... e eu afirmo que a resposta a tudo isso tem que vir das urnas!

    ResponderExcluir

Minhas leitoras e meus leitores, ao comentarem as postagens, por favor assinem. Isso é importante para mim. Se não tiver conta no Google, selecione Nome/URL (que está acima de Anônimo), escreva seu nome e clique em "continuar".

Todas as postagens passarão por minha avaliação, antes de serem publicadas.

Obrigado pela visita a este blog e volte sempre.

Adriano Curado