quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Bicicletas nas calçadas


     Um hábito ruim é praticado em Pirenópolis pelos ciclistas, e isso pode ter sérias consequências para a saúde coletiva. Trata-se do trânsito de bicicletas nas calçadas. 

     Como as ruas pirenopolinas são de muita trepidação, por conta do calçamento de pedras, as bicicletas são conduzidas pelas calçadas sem nenhum constrangimento. 

     E o pedestre onde fica? 

     Pirenópolis é uma cidade de muitos idosos, mas isso não é o suficiente para coibir o tráfego pelas calçadas. E não são só bicicletas, muitas motocicletas também transitam no espaço do pedestre. 

     É preciso uma campanha de conscientização da população, principalmente nas escolas, para que essa mentalidade seja alterada. 

     Fica aqui o alerta.

Adriano César Curado 

Imagem embaçado por se tratar de menores de idade


7 comentários:

  1. Maria Joana Quintelha12 de setembro de 2012 17:58

    Esse é um hábito perigoso e inconsequente, que deve mesmo merecer mais atenção das autoridades públicas pirenopolinas. Conheço muitas pessoas que foram atropeladas nas calçadas e se machucaram bastante. Algumas até foram xingadas pelo bicicleteiro (porque quem transita por calçadas não é ciclista), que exigiam mais atenção. Sua postagem é oportuna e importante. Meus parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Adriano César, precisamos saber se existe alguma lei estadual ou municipal que proibe andar de bicileta nas calçadas? Está incrivel a falta de respeito demonstrado por você!
    Parece que existe uma lei onde é permitida a circulação de bicicletas pela calçada, desde que esta esteja sinalizada (artigo 59 do CTB). Se houver ciclofaixa sinalizada, é permitido até circular na contramão (parágrafo único do artigo 58). E se for no mesmo sentido da via, a circulação de bicicletas pode ser nos bordos (no plural), ou seja, ou direito ou esquerdo, da via (artigo 58, caput). Mas, parece que a falta de respeito com os pedestres é visível, ai neste caso.Acho que a conscientização é a melhor forma para o caso de Pirenópolis.

    ResponderExcluir
  3. UIARA PEREIRA DE PINA14 de setembro de 2012 11:37

    Essa matéria é muito interessante e extremamente preocupante primo.Minha avó mesmo, por várias vezes já chegou a brigar com os ciclistas, pois ela vai sair da casa dela, quando ela abre o portão passa um desses doidinhos correndo com a bicicleta, correndo o risco de atropelar alguém.Minha avó por várias vezes quase foi atropelada.É um risco enorme á todos e principalmente para os idosos.Boa matéria.Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Isso é fruto da educação cada vez pior dos nossos jovens. Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  5. Marco Amâncio de Lima18 de setembro de 2012 12:49

    Será que isso não terá fim?!

    ResponderExcluir
  6. É falta de pegar quem transita pela calçada e apreender a bicicleta, porque aí não é via pública e nem ciclovia. É lugar de trânsito de pedestre.

    ResponderExcluir
  7. No dia 08-11-12 minha filha de 06 anos quase foi atropelada por um imbecil sobre uma bicicleta. Seguinte: voltávamos da escola dela, pela calçada da rua Araújo Lima, Vila Isabel, Rio de Janeiro - RJ; quando ela parou p/ ler um letreiro. O cretino passou "tirando fino" dela! Ela estava distraída e, segundos depois do ocorrido, virou-se e continuou andando. Se fosse na hora em que o asinino passou, ela seria atropelada por trás. E eu me tornaria um novo assassino...

    ResponderExcluir

Minhas leitoras e meus leitores, ao comentarem as postagens, por favor assinem. Isso é importante para mim. Se não tiver conta no Google, selecione Nome/URL (que está acima de Anônimo), escreva seu nome e clique em "continuar".

Todas as postagens passarão por minha avaliação, antes de serem publicadas.

Obrigado pela visita a este blog e volte sempre.

Adriano Curado